sexta-feira, 1 de maio de 2015

Reflexão

Sempre quis ser mãe. Quando eu soube que "talvez" eu não pudesse engravidar mais, pelo protocolo de quimios que fiz, confesso: uma tristeza bateu lá no fundo do peito!
Não que eu não pensasse na hipótese de adoção, se fosse o caso, mas desde que me vi "gente", me percebi, me vi menina,me ví MÃE!
Pensava muito em como seria o dia da descoberta da gravidez...como seria carregar um SERzinho pelas 40/41 semanas na barriga...como seria sentir os chutinhos, os enjôos, a reação da família, a gestação em si, o parto, a amamentação, os primeiros dias de um recém- nascido! Enfim...tudo isso virou real!
Eu e o Felipe tivemos dias incríveis!!!! A descoberta foi maravilhosa!!! A família ficou maravilhada com a notícia...não enjoei ( apenas 2 vezes)... Os chutes eram fortes, literalmente marcavam presença! A barriga ficou enorme e eu me senti linda durante toda gestação! Ok,ok...tive Pré-eclâmpsia e não pudemos aguardar! Com 37 semanas, de emergência , vem ao mundo ...ELA... Com choro alto, anunciando a chegada da menina mais aguardada! Eu e o Felipe não podíamos ser mais babões, mais felizes!
Ainda hoje, tomo diariamente muitas medicações. São seqüelas de um passado... E também seqüelas de um parto onde a hipertensão não deu brecha ! O que importa isso, na verdade?
A emoção de ter a Valentina nas nossas vidas é imensurável!
O meu amor não pode ser traduzido...mas eu queria que fosse, pra que o mundo pudesse desfrutar um pouquinho de uma felicidade diária que eu vivo...ela é incrível, de verdade! Cada vez mais carinhosa! Ela é apaixonante! Se pudessem ver como ela acorda, o dia de cada um seria mais leve, mais bonito!
Felipe Smolinski... Obrigada pelo retorno que tens me dado! Pela parceria! Somos pais parceiros! Dividimos um amor que nos soma! Te amo!
Valentina...a mamãe agradece por tudo! E deixa aqui registrado, que tu, sempre, desde que aparecestes, não poderia ser mais amada!


quarta-feira, 21 de maio de 2014

Tempo ao tempo...


   É incrível como o tempo passa, e a gente se ocupa de tal maneira, que algumas coisas acabam ficando  meio que "de lado"!
   O blog sempre teve um valor sentimental imenso pra mim. Como desabafo, como "quem me acolhe", como ajuda a outras pessoas...Enfim! Hoje, depois de uma boa conversa com minha terapeuta, resolvi atualizá-lo. Tanta coisa aconteceu neste 2014, que vou tentar fazer um resuminho e atualizar meu espaço mental virtual emocional!
   Meu pré -natal foi ótimo! Tive um acompanhamento bem intenso com Dra.Clarissa, obstetra.
   Passado todos os sustos iniciais da gestação, o resto foi só curtição, paparicos e mimos. 
   De verdade, a Valentina foi muito, mas muito esperada! Estávamos todos muito felizes e ansiosos com a chegada dela. Não víamos a hora! Era uma mistura de sentimento de realização e esperança na nova vida.
   Feliz. Puramente feliz. Assim foram meus dias de barrigão. Curti cada momentinho, cada carinho na barriga, cada sorriso de desconhecidos quando olham para a barriga...
   ...A Valentina veio um pouquinho antes. 
   Eu costumava andar toda arrumada. Mãos e pés feitos, depilação em dia, cabelo escovado, maquiadinha, barrigão de fora, sempre! Eis , que numa consulta de rotina, DIA 06/02/2014- num calor de 40 graus em Porto Alegre, resolvo ir de chinelinho mesmo...(daqueles que sujam bem os pés), sem maquiagem alguma (afinal, eu derreteria no solão de 40 graus), e as unhas no estilo "meia boca", porque tinha feito há três dias. Resultado: pressão alta detectada na consulta! Orientação médica: vamos direto ao hospital fazer exames.  O Felipe foi em absolutamente todas as consultas, exceto essa.Eu estava com minha mãe. Queria que ela conhecesse a obstetra. Então , nervosa, liguei pra ele de dentro do táxi e disse: -Acho que a Valentina vai nascer hoje. Traz minhas maquiagens.(hahahahaha- a louca!!)  Rumo ao hospital...Resultado? Pré-eclâmpsia! É uma doença placentária que altera e muito , a pressão sangüínea. Tivemos que fazer a cesárea de urgência. A mãe e o bebê podem correr riscos, por isso, se faz assim que possível!.Cheguei no hospital Moinhos pelas 18:30h, e às 23:47h,  do dia 06/02, nasceu minha princesa. Meu nervosismo, por causa da descoberta da doença, fazia com que eu me tremesse sem parar...até que ela apareceu! Foi INCRÍVEL! O melhor dia dos meus 32 anos vividos! O melhor sentimento do mundo! O choro mais doce. As lágrimas mais puras. Nunca vi tanta gente que me ama, tão feliz ao mesmo tempo!! Minha família em êxtase! Meu sogro e minha sogra super emocionados... E o Felipe...ahhh, esse cara estava muito ansioso e muito feliz! Ele estava diferente. Os olhos brilhavam de maneira única!
Ficamos 4 dias na maternidade. Minha pressão continuava alta, mas, mesmo assim, tivemos alta da maternidade.
Fiquei 24h em casa. Minha pressão subiu tanto em casa, que tive que ir para emergência do hospital. A pior parte de todas, é que a Valentina só mamava no peito, e como era recém-nascida(4dias), ela não podia ir para o hospital comigo. Tirei leite com a tal bomba de tirar leite, deixei ela com o papai e fui para o hospital com minha mãe. 
Lá, as coisas só pioraram. Minha pressão chegou a 20/13. Nada bom pra quem já "tirou" a placenta. 
Chamaram um cardiologista. Fui internada e lá fiquei. Minha pressão subia e baixava de hora em hora. No terceiro dia, liberaram a Valentina pra ficar comigo no leito...até porque eu chorava tanto, que a pressão certamente não baixaria logo. 
   Ela e o Felipe foram de mala e cuia pro hospital comigo. Saibam: Renasci ali!! Com a chegada deles! 
   Fiquei mais cinco dias e fui liberada. A pressão continuava alta, porém estabilizada. Fui devidamente medicada pra casa. O Acompanhamento com o cardiologista continuou fora do hospital, e no final das contas, tudo deu certo! 
   Passado todo o susto e tudo já no seu devido lugar, tenho a impressão que comigo, as coisas nunca são lá tão fáceis! Tudo tem um tempero a mais!
   Mas de uma coisa estou certa: sou uma sortuda!
   Construí minha família com o Felipe, meu marido, que amo muito, muito mesmo! 
   Tenho uma mãe incrivelmente apaixonada por mim e pela Valentina. Tenho pais presentes. Sogros queridos e também super presentes. Irmãos doidos que eu amo muito. Sobrinhos lindos! Cunhados gente boa! Amigos maravilhosos !!! 
   E... Por último, mas não menos importante: sempre dou a volta por cima de tudo. Tiro proveito do que passou e olho pra frente, pra conquistar mais uma batalha, seja ela qual for!
Um beijo, com açúcar e afeto...E força na peruca!
Nana

  (Aí, fotos dos momentos mais emocionantes desses últimos meses!)

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Quem podia imaginar?

Quem podia imaginar?

Quem já leu um tanto do meu blog, ou já me conhece um pouco mais, sabe, ou  tem a idéia de tudo que tem acontecido nos últimos 3 anos da minha vida.
Uma história dramática, por sua natureza...Um câncer! Um tratamento! E o mais importante de tudo...A CURA!
Com ela, vieram algumas decisões, que de fato, mudariam minha vida .
Um post, de um dia qualquer, no qual falei aos montes, o POR QUÊ que eu achava que não deveria morrer, e de algumas coisas que eu ainda não havia  feito, e que  por isso,  NÃO PODIA MORRER...eu citava a GRAVIDEZ!

Não sei bem o POR QUÊ, mas desde sempre, tive a vontade de ser mãe. De acordar nas madrugadas, dar o peito ao meu bebezinho, se jogar no chão juntos...Enfim... Cuidar da alimentação, higiene, educação, e dar muito amor  a quem quer muito amor, o MEU BEBÊ! Certamente não é só meu, é do meu marido, das vovós, dos vovôs, dos tios, dos primos, dos dindos...eu sei, mas por hora, seria só meu! QUE SONHO!

Este ano foi movimentado...no trabalho, em casa, e no coração.
Eu e o Felipe resolvemos fazer  um test drive, como dizem por aí...moramos juntos...e esse ano, casamos!
Sobre aquela história, de tanto querer ser mãe, eu falei tanto este ano, que por conta das quimios que fiz, achei até que não poderia mais...porque quando perguntei, ao Dr. Claudio,meu médico, o  por que de  nós não congelarmos os óvulos, como a maioria, que ainda não tem filhos, e vai fazer quimio-( porque  em muitos casos, torna a mulher infértil)- ele  me respondeu: Porque não tivemos tempo. Não sabíamos nem se sobreviria , e para esse procedimento  requer um preparo.
(Eis que me sinto um tanto diferente, uma semana rara...seios doloridos, estômago alto, uma ansiedade sem cabimento, pois nem a menstruação estava atrasada.)

Dia 10 de junho eu tinha um Pet Scan marcado- exame que, não se faz GRÁVIDA, em hipótese alguma!!
Para descargo de consciência , como não estava me prevenindo com nenhum método anticoncepcional, falei com o Felipe e  resolvi fazer no dia 09, a noite, um exame , daqueles, de farmácia. Resultado: NEGATIVO!!!!
Então, com a consciência tranquila, fui no dia seguinte fazer o Pet!
Pra ter idéia, além de responder num questionário sobre sua NÃO gravidez, você tem que assinar, um termo, se responsabilizando, pelas suas respostas...rsrsrsrs

Então, três dias depois... o resultado do Pet me  trazia novamente um ar de renovação, de saúde,e me afastava cada vez mais daquele  que um dia se hospedou em mim. Além de (IMAGINEM!!!)...acusar um aumento metabólico glicolítico no ovário direito, mais provavelmente, relacionado ao período de ovulação.

No sábado, dia 15, deixei o Felipe  num endereço, onde ía fazer uma consultoria, próximo do Hospital Regina, em Novo Hamburgo...e  eu ia seguir, para visitar uma amiga em Estância Velha. NÃO RESISTÍ!!!! Entrei no Centro Clínico Regina e resolví  fazer um Beta HCG, porque estava diferente... naquela semana...eu sei!
Não falei nada pra ninguém.

Ao meio dia, peguei o Felipe,  fomos pra casa da minha sogra. Depois do almoço, podre de sono, dormí. Acordei pelas 16horas, num susto, me lembrando que a partir das 16h, já ía constar no site do laboratório se estava ou não grávida!

Continuei no quarto, quietinha, entrei no site e dizia
*Mulheres e Homens não gestantes  inferior a  25 mUI*
Resultado = 584 mUI
Oi??? Que???? Meeeeuu Deeeusss...EU TO GRÁVIDA!!!!!!!!!!!!!!!
Descí a escada, encontrei o Felipe, e entre um respiro e outro da minha praticamente falta de respiração, contei...
Até ele acreditar...demorouuu...teve que ler o resultado algumas vezes!!!!!
Enfim...é felicidade  que não cabe na gente!

Foi ali, certamente um dos dias mais emocionantes da minha vida!
Na segunda-feira, dia 17, lembrei que teria que comunicar meu médico, que estava grávida.
Quando falei, logo ele entrou e me deixou em pânico, pois eu havia  feito o Pet Scan- GRÁVIDA!
Tivemos que entrar em contato com o Hospital Mãe de Deus, que depois de os médicos se reunirem, me disseram que eu sou o PRIMEIRO caso, em cinco anos que eles tem a máquina...de gravidez +Pet Scan.
Preocupados...me disseram que era pra eu fazer uma eco e saber de quanto tempo eu estava.

Fiz. 4 semanas!

Não havia risco algum de má formação...pelo menos não em relação a radiação do Pet para o embriãozinho desse tamanho.
OBA!!!!!!
Segue o risco de aborto. Instruções até 12 semanas. Que tudo ocorra bem!!
Ok!

Estamos entrando na 17ª semana!
Hoje, dia 11/09/2013,  fiz uma ultra só para confirmar o que já suspeitávamos desde o outro exame.

O MÉDICO DISSE: “ Temos  100% de certeza!
É UMA MENINA!”

 Minha menina, meu amor! Nome? Valentina.
 Não é uma Valentina qualquer...é a nossa VALENTINA!
 Nossa menina, nosso amor! Amor da mamãe, do papai, das vovós, dos titios, dos priminhos...nosso AMOR!

Aqui, entre eu e ela, ela e eu...nada pode contra a gente né?
Já mostra que não vem a passeio.

Te amo, princesa!

quinta-feira, 5 de julho de 2012

Última barreira!

Mais uma barreira que derrubo. Depois de um Pet Scan (exame semestral que faço)incrivelmente lindo, limpo, cheio de saúde, pude fazer a retirada do meu catéter. Eu não sentia dores com ele, e agradeço por poder tê-lo usado, pois através dele que eu recebia a quimioterapia com mais tranquilidade e conforto, sem dores. Mas seria ridiculo da minha parte se eu dissesse que não via a hora de fazer essa cirurgia. Eu achava feio, escondia nas blusas com alças mais largas,enfim...embora minha mãe e/ou minhas amigas me dissessem que mal se via, e que ninguém notava, eu notava, e pra mim, já era o suficiente. Quando eu olhava aquele "botão" e a cicatriz, é que me lembrava que ainda estava "presa" ao tratamento, ou a doença de alguma forma. Assim que tive a noticia, através do Dr. claudio, de que tiraria, uma euforia tomou conta de mim. Não dormia mais, comia pra caramba, e a ansiedade se fez até a hora em que acordei logo após a cirurgia, ainda no bloco cirúrgico. Quando entrei no bloco, comecei a falar sem parar até a sedação tomar conta do meu corpo e da minha mente. Não posso deixar de falar no Dr.João Couto, um baita médico,(menos no tamanho...um metro e meio, né Dr. joão? Rsrsrs...Sacanagem!) cirurgião, que deixa a gente tranquila, brinca, descontrai e me enche de perguntas sobre a vida, em pleno bloco!E ainda, sua equipe,Dr. joão, é maravilhosa! Ali, naquele momento, deixei no lixo hospitalar, a minha angústia, os meus receios, e os meus devaneios sobre o câncer. Foi! Acabou! Por agora , tudo volta ao normal! Não tenho palavras pra descrever a felicidade que toma conta de mim, de maneira discreta, cada vez que me olho no espelho e não vejo aquela protuberância no lado direito do peito. Tenho vivido momentos incríveis! Comecei a namorar e ando tendo momentos fantásticos com o Felipe! Que cara! Que cara, meu Deus! Tenho trabalhado bastante com minha mãe e meus irmãos. Familia reunidada e unida sempre! Amo demais...Bah! Agradeço aos amores da minha vida por estarem SEMPRE presentes, me apoiando, me ajudando, me incentivando, me cuidando,zelando por meu bem estar e me querendo bem! Ando muito, mas muito feliz! Olha...a vida tem tido um sabor pra lá de especial! Espero muito e farei por onde, pra que tudo continue cada vez melhor, pra mim, pra ti e pra eles! Beijinhos com açúcar e afeto, Nana E...Força na Peruca

sexta-feira, 20 de abril de 2012

Essa doença,chamada câncer, não escolhe sexo,idade, cor, e nem difere fracos e fortes. O que eu posso dizer, é que a colocação do cateter é meio chata..no inicio dói um pouquinho, e depois,só com o passar dos dias é que vamos nos acostumando com a sensação de algo estranho,dentro do corpo da gente...a alimentação tem que ser saudável, certamente..mas eu pude comer de tudo,menos comida japonesa(que é meio perigosa,por causado peixe cru!!)...mas pude comer de tudo...só temos que prestar atenção no que NÃO PODE FALTAR, tipo FERRO! Feijão, bife de fígado,couve, etc...comer grãos,sempre é bom também! Tive um bom aparato na parte nutricional, para que minha imunidade sempre tivesse boa...e sem eu saber, cada vez que alguém fazia uma vitamina de banana com leite, ou morango,colocavam nela o leite,CLARA de ovo crua,leite em pó(uma colher), e a fruta...As quimios realmente enjooam, e muitas vezes até me bateu um certo desespero...muito enjoo, vômitos,...e pra isso, ele medicam.Existe um remédio, o VONAU, que indicarão , provavelmente,quando ela for pra casa,pós quimio...é ótimo,e é a única coisa que passava o meu enjoo....e a carequice,nesse caso,é inevitável. Eu tinha meus cebelos enormes...loiros..adorava.Sofri..mas depois. Na hora em que ela começar a fazer as quimios,e CAIR a ficha, isso se torna secundário.Ela não vai precisar do cabelo pra lutar,embora seja uma perda enorme,e isso mexe com a feminilidade, principalmente com uma menina de 18 anos né?Mas o cabelo vem com a vitória dela. Ela precisará se proteger! Lenços...muitos lenços! Não pode pegar sol, nem vento, nem sereno na cabeça...se proteger contra gripe. Sempre! Não pegar frio!
Me ajudaram...e eu consegui passar por tudo dentro do possível, da melhor maneira.É CHATO! É DOLORIDO-DOLOROSO! Mexe com a cabeça da gente...vida,morte, doença,saúde...tratamento! Ela ficará muito irritada com as quimios (tente entender). A gente perde um pouco o controle sobre os sentimentos, sensações e sentido do que estamos passando naquele momento.É BRABO!
O bicho pega de vez em quando! A família toda fica doente junto com a gente...e tem que procurar um ajudar o outro. Sem desespero! O desespero só atrapalha! Tira o sono, e TODOS tem que dormir bem, pra poder vencer mais um dia, de maneira forte! Muito importante: carinho,amor, atenção...sem sufocar como o medo. Haverá dias, em que ela não poderá sair de casa...e assim, deve ser.Mas assim que ela for liberada, deixe-a ir. Ver amigos, a rua, a luz,o dia,a lua, é importante!A gente se sente mais viva...mais parte do mundo! Ela é nova,e eu sei,que vai "envelhecer", no que fizer parte do quesito "maturidade",porque a gente percebe ali,naquele momento, que as coisas não são bem como a gente sempre achou que fosse...Entenderemos que as pessoas não são tão ruins,nem tão boas (elas simplesmente são),...que a rua é mais bonita, que os estudos são importantes, que as amizades têm de ser sólidas e que o amor da família ultrapassa todos os limites imaginários.Planos...ela tem que fazer planos! Se imaginar,depois do processo! O que antes era importante, agora é mais(será)! As coisinhas "bobas" vão ficar pra trás...no momento da primeira quimio...e restará só a vontade de ficar bem.Força! Fé em algo,mesmo que seja no amor! Qualquer, mas qualquer coisa que eu possa fazer para vê-la bem,ou fazer com que ela dê um sorriso,basta um clique.
#fica a dica!
*Essa foi a resposta sobre uma mensagem que recebi.*
Se eu puder ajudar ,de qualquer maneira ,alguém,to aqui! Fora isso,to por aqui também,no www.noticiasdeumlinfoma.blogspot.com

sexta-feira, 13 de abril de 2012

Dia Internacional do Beijo (13 de Abril)

Beijo é bom...Beijar é bom!
O beijo instiga, investiga, intriga, atrai.
Ele insinua, faz arrepiar, toca, sente, vibra.
Coisa bem boa é um beijo bem bom!
Ahhh, como gosto de beijar!
Melhor que lembrar daquele beijo bom é poder repeti-lo.
Não, hoje, eu não beijarei ninguém.
Meus beijos estão guardados, na gaveta.
Guardados pra ti...
Quem és tu? Onde andas? Quando vens? Quando voltas?
Procuras meu doce beijo e acharás em mim meu mais doce desejo pelo beijo!
Oh céus! Quantos beijos no dia de hoje!
Oh céus! Me permita, te permitas!
Beijar!
Beijar!
Beijar!
Beijar é vida!

Bons beijos a quem interessa possa beijar!


Com açúcar e afeto,
Nana

E...Força na Peruca!